Translate

Visitantes

contador de visitantes online
»»»» BEST RADIO »»»»

Pesquisar neste blog


contador de visitas

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

Mais pais, menos escola



Alargar “a escola a tempo inteiro” a todo o ensino básico é uma das intenções do governo, incluída na proposta de Orçamento do Estado. Mas especialistas, como Carlos Neto, não concordam que esta seja a melhor solução. Em declarações à agência Lusa, o catedrático da Faculdade de Motricidade Humana da Universidade de Lisboa, afirmou: “As crianças já passam muito tempo na escola, ao contrário do que acontece noutros países europeus. O que está em causa é uma repartição do tempo entre a família e a escola. Em muitos países, os horários de trabalho têm mais alguma flexibilidade. Por exemplo, pode-se começar a trabalhar mais cedo e sair mais cedo. Os pais às 16h saem e vão buscar os filhos à escola e têm mais tempo em família”. E conclui: “É preciso audácia política para fazer isto”.
Com currículos muito rigorosos e exigentes em termos de carga horária e com um sem fim de atividades extracurriculares organizadas, as crianças de hoje não têm tempo para brincar e socializar livremente, sofrendo de um enorme nível de “sedentarismo, analfabetismo físico e superproteção”. O investigador deixou um alerta: “As vivências de um corpo em ação permanente são fundamentais para uma infância feliz e empreendedora no futuro e, por isso, se não existirem, têm repercussões colossais na construção do ser humano”.

in Pais&filhos

Sem comentários:

Enviar um comentário